A Auditoria Interna (AUDIN) é órgão instituído pelo Estatuto Social, com atribuições e competências definidas pelo próprio Estatuto, pela Lei nº 13.303/2016, Decreto nº 3.591/2000 e legislação correlata, assim como pelo Conselho de Administração (CA), ao qual se vincula diretamente, restringindo-se à execução de atividades típicas de auditoria e preservando sua autonomia e imparcialidade.

A Auditoria Interna, por meio do seu titular, se reporta funcionalmente ao CA, assegurada a supervisão das atividades pelo Comitê de Auditoria (COAUD) e preservado o canal administrativo com a Presidência da empresa, vedada a delegação.

No exercício de suas atividades típicas na terceira linha, a Auditoria Interna também interage e se comunica com a Diretoria Executiva, o Conselho Fiscal, os demais órgãos estatutários, os colegiados de governança e os órgãos de gestão na primeira e segunda linhas, assim como externamente com a entidade fechada de previdência complementar, os órgãos de controle ou outros provedores de serviços de avaliação ou de consultoria, pautando-se pelos princípios da cooperação e da preservação da imparcialidade, sendo vedado assumir responsabilidades próprias da gestão, de deliberação ou quaisquer outras incompatíveis com as atribuições de auditoria interna.


DA DEFINIÇÃO, DO PROPÓSITO, DA MISSÃO, DA VISÃO E DOS VALORES

DEFINIÇÃO

Auditoria Interna é definida como uma atividade independente e objetiva de avaliação e de consultoria exercida pela AUDIN, atuando tipicamente na terceira linha.

PROPÓSITO

Aumentar e proteger o valor empresarial, contribuindo para melhorias operacionais, gerenciais e estratégicas.

MISSÃO

Auxiliar a empresa a realizar seus objetivos, por meio da aplicação de uma abordagem sistemática, disciplinada e baseada em riscos para avaliar e aprimorar os processos de governança, de gerenciamento de riscos e de controles internos.

VISÃO

Ser inovadora para induzir as melhores práticas de governança, gestão de riscos, controles e auditoria, colaborando com as instâncias internas e externas de controle.

VALORES

A conduta ética dos profissionais da Auditoria Interna deve estar em consonância com o Código de Ética, Conduta e Integridade do Serpro da empresa, com o Código de Ética do The IIA e com os Princípios Fundamentais para a Prática da Atividade de Auditoria Interna Governamental aplicáveis ao SCI, adotando os seguintes valores:

  • integridade
  • objetividade e autonomia técnica
  • confidencialidade e sigilo profissional
  • competência, proficiência e zelo profissional
  • alinhamento às estratégias, objetivos e riscos do Serpro
  • atuação respaldada em adequado posicionamento e em recursos apropriados
  • qualidade e melhoria contínua
  • comunicação eficaz


ESTRATÉGIA PLURIANUAL

De modo a orientar a atuação da Auditoria Interna para o cumprimento do propósito, da missão e da visão, o titular da Auditoria Interna submeterá proposta de estratégia plurianual da atividade de auditoria interna, incluindo o nível de capacidade pretendido, à aprovação pelo Conselho de Administração, após análise pelo Comitê de Auditoria.


PRINCIPAIS NORMATIVOS QUE REGEM O PROCESSO DE AUDITORIA INTERNA

regimento interno.png
O Regimento Interno da Auditoria Interna, é o instrumento normatizador e orientador para o cumprimento da Missão da Auditoria Interna, observando o disposto na Lei nº 13.303/2016 e decreto regulamentador, as diretrizes e normas técnicas que regem as ações de controle do Sistema de Controle Interno do Poder Executivo Federal, assim como os elementos obrigatórios da Estrutura Internacional de Práticas Profissionais (IPPF), que incluem a Definição de Auditoria Interna, o Código de Ética, os Princípios Fundamentais e as Normas Internacionais para a Prática Profissional de Auditoria Interna definidos pelo The Institute of Internal Auditors (The IIA). Deliberação AU - 010/2022
estrategia.png
A Estratégia da Função de Auditoria Interna comunica a estratégia da Auditoria Interna para o período de 2022 a 2024 e torna transparente os princípios que balizam o exercício da função de Auditoria Interna, assim como os alvos de valor para as entregas pelas instâncias de controle. Deliberação AU - 013/2022
manual.png
O Manual Operacional de Atividades de Auditoria Interna detalha procedimentos afetos ao processo Gerenciar Auditoria Interna e seus subprocessos, observando os elementos obrigatórios da Estrutura Internacional de Práticas Profissionais (IPPF) e regulamentação estabelecida pela Controladoria-Geral da União – CGU, no exercício da supervisão técnica. Decisão Setorial AUDIN – AUDIN-AU-002/2022 e o manual

qualidade.png

qualidadeck.png

O Programa de Gestão e Melhoria da Qualidade da Atividade de Auditoria Interna (PGMQ), instituído pela Decisão Setorial AU-001/2022, tem por objetivo promover a melhoria contínua da atividade de auditoria interna e uma cultura que resulta em comportamentos, atitudes e processos de caráter permanente que sustentam entregas de produtos de alto valor agregado, atendendo às expectativas das partes interessadas e ao propósito da Auditoria Interna. Decisão Setorial AUDIN – AUDIN-AU-001/2022
prazos.png
A Deliberação sobre o Tratamento de Solicitações e Recomendações da Audin e Órgãos Externos aprova os procedimentos e os prazos a serem observados, pelas Unidades Auditadas do Serpro e pela Auditoria Interna, para tratamento das solicitações e recomendações realizadas pela Auditoria Interna ou pelos Órgãos Externos de Fiscalização e Controle. Deliberação AU - 012/2022
Depositphotos_12510555_original.jpg
Prestação de Serviços de Consultoria pela Auditoria Interna - Define os procedimentos relativos aos serviços de consultoria prestados pela Auditoria Interna do Serpro (Deliberação - AU-014/2022).


NOSSA BUSCA CONTÍNUA POR QUALIDADE!

qa.pngQuality Assement - QA

Em 2021, em atendimento à recomendação do Comitê de Auditoria do Serpro – Coaud, feita por meio da Ata da 19ª Reunião Ordinária de 2020, a Audin firmou contrato com o Instituto dos Auditores Internos do Brasil - IIA, no intuito de se preparar para receber a certificação Quality Assessment - QA do referido Instituto.

Em Outubro/2021 foi então realizada a Avaliação Preliminar de Qualidade (QA) da Atividade de Auditoria Interna (AI) do Serpro, com objetivo de:

  • Avaliar a conformidade da Auditoria Interna com as Normas Internacionais para a Prática Profissional de Auditoria Interna e ao Código de Ética do The Institute of Internal Auditors (The IIA ou IIA);
  • Avaliar a eficácia da Auditoria Interna no cumprimento de sua missão conforme as expectativas da Alta Administração e definições do Estatuto de Auditoria Interna;
  • Identificar boas práticas demonstradas pela Auditoria Interna; e
  • Identificar possíveis oportunidades de melhoria contínua quanto a eficiência e eficácia da infraestrutura, dos processos de trabalho e gestão, assim como no valor que agrega às partes interessadas.

O período de Novembro/2021 à Abril/2022 foi para sanear todos os apontamentos realizados pelo IIA na etapa de pré-avaliação. No período de 16/05 a 03/06/2022 foi realizada a Avaliação Final de Qualidade.

Ao final, a opinião geral do IIA é de que a Auditoria Interna do Serpro CUMPRE GERALMENTE (CG) com as Normas e o Código de Ética e, portanto, a Audin Serpro recebeu a Certificação Internacional de Qualidade em Auditoria Interna (QA-IIA).


ia-cm.pngModelo Internal Audit Capability Model (IA-CM)

Nível de Capacidade 3 - Integrado

Desde 2018 envidamos esforços para estruturar capacidades críticas em auditoria interna e nosso nível aferido pelo modelo IA-CM.

Em 2021, o Serpro foi a primeira estatal reconhecida pela CGU como nível 3 de capacidade no Modelo IA-CM. A atividade de auditoria interna desempenhada pela Audin do Serpro está posicionada no nível 3 - Integrado, observando-se a consolidação de atividades essenciais de uma auditoria interna efetiva, conforme o modelo.

Conforme diretriz da Estratégia 2024, seguimos implementando ações de qualidade para alcançarmos e institucionalizarmos o nível 4 de capacidade no modelo.

Acesse o relatório (link ainda a ser publicado na página da CGU)


Artefatos do processo de auditoria interna

Modelos de documentos utilizados pela auditoria interna


Modelo Serpro de Maturidade de Riscos e Controles

O Modelo foi elaborado junto com a 2ª linha, como resultado de consultoria prestada pela Auditoria Interna, visando estruturar metodologia para avaliação da maturidade da governança, riscos e controles dos processos da Cadeia de Valor e está baseado nos componentes e princípios do COSO Internal Control - Integrated Framework (ICIF). (Modelo Serpro de Maturidade de Riscos e Controles)

Modelo do PCMM (Governança de Gestão de Pessoas) - Modelo customizado como consultoria da Auditoria Interna em conjunto com a Diretoria de Desenvolvimento Humano, reunindo referenciais do PCMM (maturidade em gestão de pessoas), IgovPessoas TCU, IGSET e Caderno da Sest de boas práticas em gestão de pessoas. Sendo depois validado por especialistas do BB, Banco Central, PGFN, CGU, TCU, SEST.(Modelo de capacidade em gestão de pessoas)


CONTATO:

fale.png
Auditoria Interna do Serpro
SGAN Quadra 601 Módulo "V",
Edifício Sede, Brasília-DF, CEP: 70836-900
Telefone: (061) 2021-8910